COGNITIO - Revista Científica Multidisciplinar

Apresentação


PESQUISAR É PRECISO

    A pesquisa não é apenas um ramo ou acessório da Ciência. Ela está arraigada na própria essência desta. De fato, seria árdua a tarefa de, nos dias atuais, se desenvolver alguma atividade que possa ser chamada de científica sem ela. Um simples olhar ao mundo a nossa volta nos permitirá ver o quanto seus resultados têm contribuído para o desenvolvimento das mais diversas atividades humanas. Tais feitos são, por assim dizer, a contribuição que cada geração deixa para as próximas. Constituem-se nos alicerces sobre os quais as gerações futuras construirão maiores e melhores descobertas. A admissão de tal fato, evidentemente, nos impõe uma parcela histórica de responsabilidade. Parafraseando o lema da escola de Sagres, no período em que Portugal se lançava ao mar e marcava época por meio de grandes descobertas marítimas, podemos dizer que pesquisar é preciso.

    Segundo Platão e Aristóteles, a “admiração” [thauma] foi a razão pela qual os homens começaram a pensar filosoficamente (Aristóteles, Metafísica, A 982 b). Para estes pensadores, “é absolutamente de um filósofo este sentimento: espantar-se” (Platão, Teeteto, 155 c 8). A despeito do longo interstício temporal que nos separa do momento em que estas palavras foram escritas e, consequentemente, das grandes disparidades das realidades de então e de hoje, acreditamos que esta ainda seja uma boa motivação para a investigação científica. Precisamos revitalizar esse sentimento de encantamento pelo universo, pela complexidade da vida, pelo macro e micro cosmos, pelo questionamento constante do staus quo e das verdades políticas e sociais de nosso tempo.

    Antes, talvez, tenhamos que romper com os grilhões e mordaças que nos impõem conformidade com a realidade a nossa volta, paradigmas sedimentados por uma sociedade – ou período histórico – que desestimula a atividade de pensar. Neste sentido, vale a pena refletirmos sobre a origem da palavra “conformar”, que deriva de um termo grego que significa estar ou permanecer “conforme a forma”. Como gosta de repetir o Prof. Mario Sergio Cortella, “o animal satisfeito dorme”. Ou poderíamos dizer: se conforma. É claro que a conformidade possui suas vantagens. E é por isso que muitos, como o camaleão, aderem a uma espécie de mimetismo acadêmico em detrimento do pensamento que desafia os padrões estabelecidos. Mas o preço a ser pago, no curto e no longo prazo, como resultado desta atitude é excessivamente elevado. A relação custo-benefício nos é, desta forma, muito desfavorável.

    O lançamento da revista eletrônica COGNITIO marca uma nova fase na existência de nossa instituição. De caráter multidisciplinar, abrangendo áreas como Educação, Saúde, Administração e Filosofia, ela representa o nosso desejo de promover e estimular a pesquisa científica. Queremos assim contribuir de maneira decisiva para a formação de uma geração comprometida com esta atividade. Sendo assim, apresentamo-nos perante a comunidade acadêmica como uma opção a ser utilizada para publicar seus artigos, pesquisas e trabalhos científicos.

    Esta é apenas a primeira edição, uma semente, portanto. Mas, como toda semente, esperamos que germine, cresça e frutifique. Que cumpra o propósito que ensejou sua existência. Queremos, ao longo dos anos, fazer da pesquisa e da apresentação de seus resultados à sociedade uma marca de nossa instituição. Incentivamos nossos leitores a interagir conosco. Suas sugestões, críticas e elogios são importantes para nosso crescimento na medida em que nos ajudam a corrigir distorções, consolidam caminhos que percorremos e ratificam decisões que tomamos. Por fim, desejamos a todos uma ótima leitura! Esperamos que apreciem tanto o conteúdo de nossa revista quanto apreciamos prepará-lo.



Katarina Souza Corrêa

Diretora Geral